“O Senhor Jesus de Alvor” (Lenda)

A lenda “O Senhor Jesus de Alvor” fala-nos de um povo de uma terra pesqueira (Alvor – situada no barlavento algarvio, vizinha de Portimão) que foi agraciado por uma oferta muito especial de Deus.

A história passa-se na costa de Alvor, nos meados do século XVIII.

Um dia, os pescadores desta terra vêem um caixão  que balouça, ao longe, no cimo das ondas… O caixão chega à beira-mar e encalha na praia.

Os pescadores descobrem, atónitos, que, dentro do caixão se encontra uma doce imagem de Jesus crucificado, e, no fundo, uma inscrição com os dizeres: “Senhor Jesus – Praias de Alvor”.

Alegres e felizes com a descoberta – que consideram um presente do Céu – decidem levar a imagem para a igreja matriz, onde a colocam no altar. Tem de ser transportada por quinze homens, tal o seu peso!

Desde essa altura sucedem-se notáveis prodígios. Tantos, que os povos vizinhos começaram a invejar a imagem, e tentaram roubá-la. No entanto, as suas tentativas foram em vão. Na verdade, uma força oculta opunha-se à ladroíce.

Os milagres sucediam-se… Muitos náufragos são resgatados miraculosamente…

Então, o sacristão da igreja começa a reparar nuns passos molhados no pavimento de pedra, que iam da porta da igreja até ao altar. E nota, também, que, nessas ocasiões, escorria sangue dos joelhos da imagem.

Querendo tirar a limpo as suas desconfianças, o sacristão começou a vigiar. E o que viu deixou-o estupefacto e deslumbrado: quando ocorria algum naufrágio, Jesus descia da cruz, encaminhava-se para a porta e saía; passado algum tempo, regressava, encharcado, dirigia-se de novo ao altar e  subia para a cruz. Era Ele o salvador dos náufragos!

Mas talvez o mais extraordinário ocorreu no dia do terramoto de 1755, que também assolou, de forma pavorosa, o nosso Algarve.

Atingidos de súbito pela calamidade, os alvorenses fogem para a igreja matriz, onde estava exposta a imagem de Jesus Cristo, procurando refúgio junto d’Aquele que já os salvara de tantos naufrágios.

O mar avança agora, impetuoso e ameaçador, galgando a terra, o casario e o próprio castelo, destruindo tudo o que encontra!

E eis que as ondas alterosas estão prestes a atingir a própria igreja!

Então, um jovem,  num ímpeto de Fé, corre para o altar, pega sozinho (um prodígio!) na pesada imagem, carrega-a para fora da igreja e ergue-a  defronte das vagas.

E, nesse preciso instante, acontece o MILAGRE: o mar recolhe e reflui, como que submisso perante o poder de Jesus Cristo, Rei e Senhor do Universo!

A gente de Alvor, liberta agora das angústias, louva o Senhor, que a poupou a mais tormentos, pega na imagem e leva-a de novo para o altar.

E foram precisos 15 homens para a carregar…

Fotografias da igreja matriz de Alvor e do espaço envolvente:
Link para ver as fotografias

Explore posts in the same categories: Cultura, Momento de Reflexão, Prosa, Religião

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: