Arquivo de Abril 2008

Assim vai o negócio do assassínio de bebés inocentes…

Abril 11, 2008

Transnacional anti-vida obteve lucros de 112 milhões de dólares com abortos em apenas um ano

 

WASHINGTON DC, 04 Abr. 08 / 07:00 pm (ACI)

 

A agência “LifeSiteNews.com” deu a conhecer o relatório anual 2006/2007 da organização abortiva “Planned Parenthood Federation of America” (PPFA).

 

Segundo este documento, o grupo realizou neste período 289.650 abortos e obteve lucros de 112 milhões de dólares.

 

Com estas cifras, a PPFA superou os abortos realizados em 2005, e os 55,7 milhões de dólares de lucros que obteve nesse mesmo ano.

 

O relatório também assinala que a transnacional recebeu do governo dos Estados Unidos 336 milhões de dólares em recursos para as suas actividades abortivas.

 

Esta contribuição do governo continuou, apesar dos diversos escândalos em que se viu envolvida a PPFA em várias zonas do país. Em 2002, o grupo pró-vida “Life Dynamics” denunciou como os conselheiros das clínicas abortivas do PPFA insistiam em ocultar a idade dos companheiros sexuais de jovens grávidas, para não ter que denunciá-los diante das autoridades por violação.

 

O relatório anual da PPFA inclui na sua última página que esta organização abortiva foi fundada por Margaret Sanger em 1916, como a primeira clínica de controlo de nascimentos nos Estados Unidos.

 

Fonte: ACI digital

 

 Três breves comentários:

 

 1. Será que toda esta gente – médicos(?!) incluídos – dorme sossegada, depois de um dia de “trabalho” a mutilar e a matar impiedosamente estes pequeninos e indefesos seres humanos… filhos de Deus e seus irmãos … ?

2. O último parágrafo da notícia espelha bem a capa com que se envolve e disfarça com abjectos eufemismos a verdade horrorosa acerca do aborto!

3. Que pensarão os nossos governantes – que tanto incentivaram ao voto no sim ao aborto – ao lerem (será que lêem?) estas notícias ou outras semelhantes?

Anúncios

Papa Bento XVI baptiza ex-crente do Islamismo

Abril 2, 2008

Magdi Allam, jornalista e subdirector do periódico italiano “Corriere della Sera”,  converteu-se ao catolicismo e foi baptizado no Domingo de Páscoa pelo Papa Bento XVI, depois de ter renegado a religião islâmica.

Allam, um jornalista de origem muçulmana, descreve o Islamismo como instrinsecamente violento, caracterizado pelo ódio e pela violencia,  em vez do amor e do respeito pelos outros.

Em carta publicada no seu próprio jornal, Allam explica que “se libertou do obscurantismo de uma ideologia que legitima a mentira e a dissimulação, e a morte violenta; que induz ao homicídio e ao suicídio, à submissão cega e à tirania”.

Magdi Allam considera que agora, após o seu baptismo, se uniu à autêntica religião da verdade, da vida e da liberdade”.