Uma só vez

Esta vez
É a única vez que eu escrevo esta frase.
É a única vez
Que eu penso este ligeiro pensamento,
Que eu sinto este sentimento,
E vivo este momento
Que não será vivido uma outra vez.

Embora não consiga quase explicar
Esta ansiosa contingência
Em que me exalto e me debato,
Busco exprimir o que me diz cada segundo,
Cada lampejo da existência,
Cada átomo do mundo.

Esta vez é uma só;
Cada gesto, cada acto, é um só, uma só vez vivido;
E, por acaso repetido,
Já terá sido outro acto, outro gesto, cada vez;
Outro ambiente, outra luz, outro momento.

Na eterna rotação para o desdobramento,
Tudo é e logo foi, de tudo o que se fez.

E embora tudo morra e recomece,
A gente sonha, sofre, chora, esquece
Mas vive cada coisa … uma só vez!

Ana Amélia Queirós Carneiro de Mendonça

Explore posts in the same categories: Poesia / Prosa

One Comment em “Uma só vez”

  1. ocanto Says:

    Ana Amélia nasceu no Rio de Janeiro, em 1896, e aí faleceu em 1971.
    É justamente considerada um dos maiores expoentes femininos da poesia em língua portuguesa, a par de Florbela Espanca, Maria Helena e Virgínia Victorino.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: