Baixa de natalidade

Publicado em Julho 13, 2010 por ocanto
Categorias: Uncategorized

“É a população activa que paga impostos e a base da pirâmide já encolheu tanto que vai haver falhas, a não ser que cheguem imigrantes.”

Ana Fernandes, demógrafa, sobre o facto de, em 2009, Portugal ser o segundo país da União Europeia com a menor taxa bruta de natalidade e onde esta mais diminuiu desde 1999.

Já não é novidade que cada vez nascem menos crianças em Portugal. Mas não deixa de ser surpreendente, mesmo para os especialistas em demografia, constatar que Portugal foi o país da União Europeia (UE) onde a taxa bruta de natalidade mais diminuiu desde 1999.

É neste sentido que apontam os últimos dados do Eurostat, o gabinete de estatísticas europeu, que incluem os 27 países da UE e ainda a Islândia, a Suíça e a Noruega. Entre 1999 e 2009, a taxa bruta de natalidade (número de nados-vivos por mil habitantes) decresceu substancialmente em Portugal (19,7 por cento). No ano passado (dados provisórios), passámos para apenas 9,16 nascimentos por milhar de habitantes.

Os números do Eurostat indicam ainda que em 2009 Portugal era já o segundo país da UE com a menor taxa bruta de natalidade, a seguir à Alemanha, que lidera a tabela.

Em 2009 se verificou, pela segunda vez na história portuguesa (a primeira vez foi em 2007), um crescimento natural negativo. Entre Janeiro e Setembro de 2009, o número de óbitos suplantou em 3638 o de nascimentos, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. A carga sobre os activos vai obrigar a um aumento da produtividade e a novos adiamentos da idade de reforma, prevê Jorge Malheiros.
In Público

“O Senhor Jesus de Alvor” (Lenda)

Publicado em Junho 13, 2010 por ocanto
Categorias: Cultura, Momento de Reflexão, Prosa, Religião

A lenda “O Senhor Jesus de Alvor” fala-nos de um povo de uma terra pesqueira (Alvor – situada no barlavento algarvio, vizinha de Portimão) que foi agraciado por uma oferta muito especial de Deus.

A história passa-se na costa de Alvor, nos meados do século XVIII.

Um dia, os pescadores desta terra vêem um caixão  que balouça, ao longe, no cimo das ondas… O caixão chega à beira-mar e encalha na praia.

Os pescadores descobrem, atónitos, que, dentro do caixão se encontra uma doce imagem de Jesus crucificado, e, no fundo, uma inscrição com os dizeres: “Senhor Jesus – Praias de Alvor”.

Alegres e felizes com a descoberta – que consideram um presente do Céu – decidem levar a imagem para a igreja matriz, onde a colocam no altar. Tem de ser transportada por quinze homens, tal o seu peso!

Desde essa altura sucedem-se notáveis prodígios. Tantos, que os povos vizinhos começaram a invejar a imagem, e tentaram roubá-la. No entanto, Read the rest of this post »

Feliz Ano Novo!

Publicado em Janeiro 4, 2010 por ocanto
Categorias: Uncategorized

A todos os que têm passado por este blogue e tido a paciência de o ler e a bondade de o comentar, aqui fica o nosso obrigado e os nossos votos de um Bom Ano Novo.

Oxalá que neste novo ano, que agora se inicia, o Menino Jesus, na sua Epifania, consiga revelar à Humanidade o dom e o poder transformador do Amor do Pai!

E que o Menino Jesus renove em vós a Fé e a Esperança, e vos dê um Ano 2010 pleno de Saúde, Paz e Amor!

HOJE CELEBRA-SE A MEMÓRIA DE SÃO LOURENÇO (mártir)

Publicado em Agosto 10, 2009 por ocanto
Categorias: Cultura, Religião

São Lourenço nasceu no início do século III, em Huesca, cidade espanhola. Os seus pais, ambos cristãos, deram-lhe uma excelente educação.

São Lourenço

São Lourenço

Ainda jovem, movido por um santo zelo, foi viver para Roma em busca do centro da religião cristã. Naqueles tempos, os cristãos eram perseguidos porque se recusavam a prestar culto ao imperador e aos deuses pagãos. Isto enfurecia o imperador romano, pois ele próprio se considerava um deus.

No ano 258, o imperador Valeriano  desencadeou uma grande perseguição contra os cristãos. São Lourenço era, nessa altura, o primeiro dos sete diáconos da Igreja romana. Desempenhava uma função muito importante pois era o primeiro responsável pelas coisas da Igreja: administrava os bens da Igreja, e olhava pelos necessitados, pelos doentes, pelos órfãos e viúvas, e distribuía as esmolas dos fiéis pelos pobres.

 São Lourenço foi preso e intimado a comparecer diante de um representante do imperador, a fim de prestar contas dos bens e das riquezas que a Igreja possuía. O santo pediu um prazo para fazer isso, dizendo que entregaria tudo. Confessou que a Igreja era muito rica, e que a sua riqueza ultrapassava a do imperador. Foram-lhe então concedidos três dias para que ele mostrasse os bens e riquezas que a Igreja possuía. São Lourenço reuniu os cegos, os aleijados, os velhos, as viúvas, os órfãos, os doentes e desamparados… e compareceu diante das autoridades, dizendo que esse era o tesouro da Igreja!

Indignado, o governador destinou-o a um suplício especialmente cruel: amarrado sobre uma grelha, foi assado vivo, lentamente, no meio dos tormentos mais cruéis, sem vacilar na Fé, mas proclamando, com alegria, o seu amor a Deus.

São Lourenço aproveitou os últimos instantes da sua vida para rezar pela conversão dos pagãos e dos perseguidores do cristianismo. E encomendou a sua alma ao Criador, ao expirar no ano 259, a 10 de Agosto, dia em que é venerado com o maior respeito e admiração por todos os católicos.

 

No Algarve, em Almancil, concelho de Loulé, uma igreja belíssima, com altar em talha dourada, foi dedicada, em 1730, a São Lourenço. Vale a pena visitá-la e apreciar os primorosos frescos que retratam episódios da vida de São Lourenço, em particular, os momentos do seu martírio.

DÁ VONTADE DE RIR…

Publicado em Agosto 2, 2009 por ocanto
Categorias: Aborto, Vida

Daria vontade de rir… não fora tão trágico!

O governo do PS, que promoveu o aborto em Portugal, que enganou tantos portugueses, na altura do referendo sobre o aborto, servindo-se da ardilosa falácia de que o que estava em causa era evitar penas de prisão para as mulheres que abortassem, induzindo, assim, muitos e muitos a votarem a favor do astucioso engano… vem, agora, em mais uma manobra da habitual propaganda, fazer a promessa da “oferta” de 200 euros pelo nascimento de uma criança!

Magnânimos governantes! Mesmo descontando a hipocrisia do anúncio da medida, com 200 euros os pais fazem o quê…?!

Mas, mais insólito ainda – pasme-se! – é que… o dinheiro só poderá ser levantado quando os contemplados atingirem a maioridade, ou seja, aos 18 anos…!!!

E se os bancos cobrarem as taxas (despropositadas), que actualmente praticam, de manutenção de contas, é óbvio que, passados poucos anos, nenhum dinheiro estará na conta dos bebés…! Aliás, estarão os pais em dívida para com os bancos…!

Esta medida, agora apresentada pelo PS, roça, pois, a hipocrisia mais retinta. Característica, aliás, destes senhores, que, à falta de boas ideias e melhores soluções para os problemas do País – e servidos por gente inepta e sem princípios, como todos os dias se comprova à saciedade – se limitam a insistir por sistema na mentira e na trapaça mais sórdida… Estarão mesmo convencidos de que somos todos parvos…?!

Reles vergonha, a mais despudorada, esta propaganda deste governo! Então querem incentivar a natalidade… com a oferta de 200 euros aos pais dos bebés…?!

Se realmente este governo quisesse incentivar, a sério, a natalidade, tomaria a medida mais simples e mais barata: alterava de imediato a lei do aborto!

Todas as campanhas de propaganda, que passem ao lado desta medida tão simples, constituem pura e reles demagogia!

VERGONHA!

Publicado em Julho 27, 2009 por ocanto
Categorias: Aborto, Vida

Dos jornais:

“A esquerda parlamentar uniu-se na recusa da suspensão da Lei do Aborto apresentada pelo Movimento Portugal Pró Vida e defendida por mais de cinco mil peticionários, com as bancadas do PS, BE e PCP a deixarem duras críticas ao tipo de linguagem utilizada no documento”.

Vejamos qual foi o tipo de linguagem que ofendeu a fina sensibilidade dos srs. deputados. Chamar as realidades pelo seu nome: “é preciso parar quanto antes com a matança dos inocentes”; “abortar é o mesmo que matar”; “condenar à morte um ser humano indefeso é a vilania das vilanias; “Um dia este país julgará em tribunal isento os autores da legislação que viabilizou tal infanticídio. Ou será que a teriam aplicado às suas próprias mães?”…

Estas verdades incomodaram ao que parece, vivamente, os tímpanos dos srs. deputados…

Uma sra deputada do PS sentiu-se até tão ressentida que afirmou que tal petição não merecia ser discutida em tão magno forum… !

Esta tomada de posição, para mais partindo de uma mulher (depositária do dom da vida… porque a sua mãe não a abortou…), traduz bem o estado de degradação moral a que Portugal chegou!

Valerá a pena perguntar à preclara deputada quais são as magnas questões que merecem a honra de ser discutidas na Assembleia da República. Só as que contemplam matérias que interessam ao partido do governo? Ou seja, para esta sra. Deputada a Assembleia não é do Povo, mas um feudo privado deste governo, onde só devem ser tratados os assuntos que não incomodem os srs. deputados do partido maioritário… Read the rest of this post »

Inacreditável!

Publicado em Fevereiro 16, 2009 por ocanto
Categorias: Aborto, Vida

PS considera uma honra ter promovido a legalização do crime do aborto

No passado dia 12 de Fevereiro perfez um ano a nefanda vitória do «sim» no referendo sobre a “despenalização” (um eufemismo que o governo utilizou para esconder a tremenda falácia com que enganou o Povo Português) do aborto.

Assinalando a “gloriosa” efeméride, uma senhora, por certo, distinta deputada do PS, Ana Catarina Mendes (será mãe?) exarou a seguinte declaração política, no local onde se reúnem os alegados representantes do Povo:

«A lei aprovada a 17 de Abril na Assembleia da República é uma das que mais se destaca na X legislatura e uma das que mais honra o PS».

Com personalidades de tão elevado recorte moral, que mais poderemos esperar senão que Portugal vá caminhando, cada vez mais rapidamente, para o abismo…?!

Qual será o conceito de honra desta senhora deputada…?!


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.